terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Proposta de alteração do método de selecção para os núcleos...

Caros colegas,

Para quem não foi à reunião, informamos que ficou seleccionado um método de selecção alternativo ao actual. A pedido de quem esteve na reunião, vamos apresentar uma explicação sucinta da nova proposta.

E informamos desde já que muito em breve colocaremos na AE a proposta, juntamente com folhas de "Eu concordo" e "Eu não concordo" para que todos possam assinar com vista a ser entregue o quanto antes.

O ponto de situação é então o seguinte:


O método de selecção actual consiste nos seguintes passos

A) Escolha dos alunos
B) Média das unidades curriculares concluídas (UCC) até ao final do 1º semestre do 3º ano

No que consiste? Todos os alunos são comparados de forma equalitária no que diz respeito à media e não existe distinção quanto às UCC.


O método de selecção alternativo, proposto, consiste no seguinte

A) Escolha dos alunos
B) Fórmula de cálculo de média, que é a seguinte

(Média das UCC/25) x Nº de UCC

Passando a explicar:

Aluno A - média de 15 e 25 UCC -> (15/25) x 25 = 15

Aluno B - média de 15 e 24 UCC -> (15/25) x 24 = 14,4

Aluno C - média de 15 e 23 UCC -> (15/25) x 23 = 13,8

E cada um destes alunos concorre com o valor obtido após a aplicação da fórmula.

No que consiste? Para cada aluno é obtida uma nota final que tem em consideração tanto a sua média das UCC como a quantidade de UCC.

De notar que a média das UCC é dividida por 25, visto ser o número de UC existente desde o 1º ano até ao primeiro semestre do 3º ano.

Quando deixarmos as folhas na AE avisamos, mas estejam atentos que será brevemente.

E pedimos que ao contrário do que aconteceu na reunião, se preocupem em assinar e dar a vossa opinião porque é necessário que se manifestem, quer seja para concodarem ou discordarem, mas assinem!!! Parecendo que não isto é um assunto do vosso interesse!!!

Cumprimentos qualquer dúvida digam

7 comentários:

driade Edriana disse...

olá
ás vezes perco tempo com coisas inuteis
então é assim,

vejamos as injustiças que querem cometer em nome da vossa justiça

presentemente tenho 20 cadeiras feitas (talvez prefiram unidades curriculares mas estou a lixar-me para isso) essas 20 cadeiras fazem com que tenha uma média de 15.1,contudo tenho uma cadeira em atraso, pela vossa formula, que não percebo muito bem de onde saiu fico com, chamemos-lhe, uma média de 14.38 (deve parecer bem a muita gente este castigo divino). Mas eu não tive 0, na verdade tive nota na cadeira ainda que abaixo de 10, sendo esta de 7, fazendo a média das 21 cadeiras com esta nota fico com uma média de 14.71 (isto diverte-me particularmente). Contudo esta pequena situação de estarem reduzir a nota verdadeira de quem tem cadeiras em atraso não interessa, porque vocês andam em busca da justiça...

para que fique clara a situação que expôs:

média 20 cadeiras = 15.1 (das cadeiras feitas)

média 21 cadeiras = 14.38 (feita com 0, que é no que resulta a formula exposta)

média 21 cadeiras = 14.71 (feita com a nota que obtive à cadeira por fazer)

muito sinceramente estou a lixar-me para as vossas inúteis e mesquinhas diligências, o que me incomoda mesmo é esta pequenez de valores morais (não os das notas, esses têm que sobra). Não estão há procura da justiça, mas apenas de lixar os colegas, esses com quem andaram 2,5 anos, em quem deram beijinhos e palmadinhas nas costas com quem se divertiram muito... talvez de olho no melhor local para enfiarem a faca, quem sabe...

estamos em ciências humanas, num curso de psicologia que é uma ciência que tem por objecto de estudo o comportamento humano, parabéns a quem conseguiu enfiar a faca, cá por mim vou continuar a acreditar na estupidez humana...

com os melhores cumprimentos,
Andreia Reis :)

Tiago Fonseca disse...

Boas. Tenho todo o gosto em responder Andreia.

Primeiro há que referir que, as reuniões servem exactamente para esses esclarecimentos e que todos devem apenas falar quando sabem de todos os pontos, e não apenas dos que acham mais pertinentes ou do que leram ou ouviram por ai.

O que se passa é que, o nosso ano não apresenta notas negativas nas pautas, mas sim traços. Pelo que percebemos, o 2º ano já tem essas notas negativas.

Assim, apenas o nosso ano é impossibilitado de fazer essa média com os 9's ou os 7's, e temos de recorrer aos 0's, ou seja, a não atribuição de nota à cadeira, contando esta para a média.

Porquê? Para que todos os alunos sejam comparados de forma igual, tendo em conta o mesmo número de cadeiras. Para os anos que vêm, o processo é diferente pois já têm nota a todas as cadeiras, seja ela 8 ou 18.

De resto, as facadas estão sempre a serem dadas, resta perceber sempre se se dá a mudar propostas, a escrever posts, a fazer coisas sem que ninguém saiba... são opções :) nós preferimos agir para a maioria, dai essa inspiração divina.

cumprimentos :)

Rita Palhoco disse...

Eu continuo a surpreender-me com as "facadas" para os outros quando não nos agrada a nós. Espanta-me a liberdade como se fazem acusações sem conhecimento de causa, enfim...

Andreia, teria sido mais produtivo teres apresentado a tua opinião na reunião, mas não te vi por lá. E se lá estivesses estado não vinhas falar de coisas que foram explicadas lá e justificadas lá, para quem se interessou em ir e em se informar.

Novamente estamos perante o umbigo egocêntrico (já que estamos a estudar as ciências humanas) em que não interessa a opinião global, mas a situação pessoal.

Mas não te preocupes que existe uma forma de fazeres o teu protesto por te desfavorecer este método, a proposta é acompanhada por um folha do sim e uma folha do não. Mas pede-se que as pessoas tentem pensar na justiça global, embora isso seja idealismo a mais.

Cumprimentos
Rita Palhoco

driade Edriana disse...

Boa noite,

lamento só agora poder deixar o meu pedido de desculpa ao Tiago e à Rita, que levaram o meu comentário no blog de ano para o lado pessoal, não era minha intenção acusar-vos a um nível pessoal.

Lamento também que como delegado e subdelegada de ano não tenham uma posição isenta e imparcial, pelo menos aqui, misturando opiniões pessoais com o facto de representarem todo o ano, coisa que não o fazem, mas preferem "agir para a maioria".

Tentando ainda que percebam um pouco sobre o meu "umbigo egocêntrico" o meu primeiro comentário não se dirigia a vocês pessoalmente, nem a ninguém de facto, era mais uma revolta por um certo tipo de mentalidade competitiva que se impõe e qual pude notar que vocês defendem com unhas e dentes. Não partilho dela, mas não serei eu a conseguir derrotá-la.

Ficam aqui algumas alíneas então que espero que sejam mais esclarecedoras, quanto às minhas opiniões:
a) como delegado e subdelegada (cargos a que se candidataram) eleitos, faz parte das vossas funções representarem todo o ano e não uma fracção deste, seja esta a maioria ou não;

b) o curso de mestrado integrado de psicologia, não devia ter necessidade de nota de candidatura ao mestrado pela definição de mestrado integrado;

c) a formula que vocês propõem possibilita candidaturas a mestrados integrados (notem que por si só isto de candidaturas a mestrados integrados é uma contradição) negativas ou superiores a 20 valores (aqui está algo que gostaria de ver explicado);

d) a nota de candidatura, baseada na formula proposta é completamente arbitrária (reler alínea c)),sem suporte matemático e necessitando da abertura de uma série de excepções;

e) não é da vossa nem nossa competência atingir um consenso a respeito da obtenção de uma nota de candidatura, existindo na faculdade organismos que têm o poder, e acima de tudo o dever de deliberarem sobre o assunto.

Neste aspecto tenho apenas a acrescentar que será muito difícil a quem quer seja justificar qualquer uma destas situações na devida altura.


Não fui à reunião.
Fui a algumas, uma das quais em que assisti ao delegado de turma dizer à subdelegada quando esta ia a falar que o que ela ia dizer era o mesmo que ele. Esta transmissão telepática de pensamentos e ideias pareceu-me muito ilustrativa do que era de esperar das reuniões, o que se veio a confirmar a meu ver por uma série de detalhes, anteriores e posteriores.
Mas não é o facto de não ir a uma reunião que me tira o direito de ter opinião, nem este me será negado por vocês. Pensem bem, sendo mais velha que vocês (não muito :)) já compareci a mais eleições que vocês, isso dá-me direitos acrescidos de cidadã, perante vocês? Pois, creio que não. E já agora, quantas quintas-feiras passaram na assembleia para poderem ter opinião sobre o que se passa no nosso pais e nas decisões tomadas?
Viver em democracia pode ser perigoso, principalmente se as pessoas a pretendem usar conforme lhes convém para justificar a retirada de direitos aos outros. Ora coisas como "nós preferimos agir para a maioria" ou "Andreia, teria sido mais produtivo teres apresentado a tua opinião na reunião, mas não te vi por lá" não passam de expressões de uma mentalidade autocrata que não fica bem a ninguém, para além de ser muito perigosa.
A titulo de sugestão, um pouco mais de História de certo vão encontrar muitas expressões semelhantes e igualmente autocraticas.

Cumprimentos, Andreia

Tiago Fonseca disse...

Sinceramente tive muito tempo a pensar se te respondia ou não, pois, para além de continuares a falar de cosias já esclarecidas (menos 5ªs feiras na AR e mais dias na faculdade irão ajudar) continuas enganada em várias temáticas.

Lendo o teu 1º comentário, não me passa outra coisa para cabeça do que ataques pessoais a quem não tem a tua opinião, e não, um desabafo teu contra o mundo da maioria.

Depois, é a questão dos delegados. Sim, eu represento a turma perante a faculdade. Mas tenho opinião e posso expressá-la e usá-la como entender e deste caso, juntei um grupo e fizemos isto. Pensa comigo... grupo? queres ver que não fui só eu? Isso secalhar significa que não são só os delegados metidos nisto... será? Ou seja e concluindo, agimos como alunos que não estão satisfeitos com o método de entrada nos núcleos e não como delegados. Tal como eu disse na reunião, qualquer aluno pode entregar propostas. Nós quisemos levar isto à consideração da turma e apresentar posteriormente esta exposição a quem de respeito.

A formula foi sugerida por uma aluna na própria reunião. Mais uma vez, alunos, que eu represento. O resultado da formula dá a média de desempate, e não a tua média de curso. Ou seja, se houverem 35 candidaturas para 30 vagas, esses 35 terão uma média da formula, que pode variar entre todos os valores inteiros disponíveis e abrangidos pela formula, seja 1 ou 71. Interessa é que descrimine valores para a selecção. A média de um aluno não é alterável pela formula, pois, o resultado final da formula é exactamente, a média do aluno feita com base na formula! Apenas para selecção.

Telepatia? Eu chamo-lhe preparação para as reuniões :) é que sabes... não é só marcar reuniões e dizer-vos o que se passa. Nós temos reuniões e muitos sitios a ir. Ninguem me manda po mail ou tento inventar o mais bonito :)

Mas pronto. São sempre momentos engraçados estes. Sabes, e muito sinceramente, tenho pena que as pessoas que apoiam isto não venham comentar, porque assim ao menos iamos intervalando as coisas! :)

Bons estudos pessoal, boas férias para quem tem!

Cumprimentos

driade Edriana disse...

boas,
sinceramente não demorei muito tempo a decidir que não te ia responder.

cumprimentos Andreia

Tiago Fonseca disse...

Sim, fazes bem, mas depois eu lembrei-me que sou educado, e falo com as pessoas. Até porque, como as represento, convém responder.

Cargos diferentes, tarefas diferentes, visões diferentes.

Pena é nunca ninguém perceber o que tentamos fazer a 100%, mas, são outras questões também! :D